Administrador Regional Charles Guerreiro – Estilo que provoca críticas e elogios

Em vez de ficar no gabinete, ele prefere ir pra rua acompanhar as obras e ouvir os moradores. Mas, forma de administrar rendeu a ele o apelido de “fiscal de obras”

869

Moradores e empresários da cidade já se acostumaram em ver pelas ruas, principalmente acompanhando obra, um senhor vestido com um colete vinho onde se lê “Administrador de Vicente Pires” nas costas. Alguns podem até não reconhecê-lo, outros estranham a forma dele trabalhar em se tratando de um executivo, mas ninguém duvida que o administrador regional Charles Guerreiro implantou um estilo próprio no cargo, bem diferente dos seus antecessores. Para encontrá-lo, o meio mais fácil é ir aonde estão as principais obras, a qualquer hora do dia ou da noite e em qualquer dia da semana, e o mais difícil é aguardá-lo no prédio da Administração Regional, onde despacha somente o necessário e mantém uma agenda de atendimento bem enxuta.
Não foi por acaso que o governador Rodrigo Rollemberg convidou Charles para ser o administrador regional em março de 2018, ano em que a cidade se transformou num grande canteiro de obras, com investimentos totais de mais de R$ 500 milhões. Afinal, era necessário alguém com a disposição de ir para as ruas acompanhar o que estava acontecendo. “Os problemas da cidade estão nas ruas, não posso me dar ao luxo de ficar trancado num gabinete enquanto o povo precisa dos serviços nas ruas”, explica o administrador.
Quando está vistoriando obras, Guerreira conversa com os moradores, quase sempre para ouvir reclamações e demandas, incluindo críticas por causa dos transtornos provocados pelo serviço, principalmente nesta época de chuvas

Canal direto com os
moradores
Uma das primeiras ações do administrador Charles Guerreiro foi estabelecer um canal direto com a população por meio das redes sociais e do próprio celular, cujo contato ele fornece a quem pedir e atende quem ligar. Esse diferencial na forma de comunicação, por meio de vídeos e posts diários, na qual a comunidade recebe as informações, quase em tempo real, facilita os deslocamentos no dia a dia, evitando os locais sob intervenção das obras, já que a cidade se transformou no maior canteiro de obras do DF. Graças a esse formato de comunicação também a população entendeu a obra e se familiarizou com diversos termos como “túnel line”, “dissipadores”, “bacia de contenção”, “macrodrenagem”, entre outros termos das ações que fazem parte das obras.
Com uma jornada de trabalho extenuante, incluindo finais de semana e feriados e jornada diária que não raro ultrapassa o horário das 22hs, não há dúvidas que Charles Guerreiro se esforça para atender as demandas dos moradores, mesmo que nem sempre consegue resolvê-las. Algumas nem precisariam passar pelo administrador regional e poderiam ser resolvidas pela gerência de obras, como vazamento de esgoto na rua, o resto de poda que foi descartado fora do lugar, ou uma rua que necessita de reparos, lá está o administrador in loco. “As obras de infraestrutura, contratadas pelo governo, além das demandas do nosso cotidiano, requerem um olhar atencioso, nos detalhes, e isso só é possível acompanhando de perto. Assim, conseguimos diminuir consideravelmente os transtornos para a população, é o que chamamos de gestão de resultados”, complementa Guerreiro.
Esse estilo valeu inclusive o apelido a ele de “fiscal de obras” dado pelo seu antecessor Anchieta Coimbra, presidente da Associação Comercial de Vicente Pires, crítico da forma dele administrar em vez de cuidar de projetos macros e buscar mais recursos e equipamentos públicos para a cidade.
A lama e os buracos provocados pelo período chuvoso, tornando algumas ruas intransitáveis, tem trazido literalmente uma enxurrada de críticas ao Governo Rollemberg e, por tabela, ao administrador regional. Mas, também, há os que reconhecem o esforço de Charles Guerreiro para atender as demandas dos moradores. Pinçamos nas redes sociais depoimentos como “solicitei um PEC para a Rua 12 e já conseguimos graças ao apoio do Guerreiro…”, ou “há 10 anos peço uma parada de ônibus num ponto muito movimentado próximo a minha casa e o Guerreiro agora conseguiu para nós…” ou então “hoje consegui chegar ao metrô com a integração direto de Vicente Pires, valeu Guerreiro…” e também “um antigo pleito dos papa-lixos foi atendido graças ao empenho do nosso administrador….” e ainda, “passei na rua agora às 22h00, depois das chuvas e vi o administrador colocando placas de sinalização num local que estava perigoso….”.

Movimento
“Fica Guerreiro”
Na onda das tais listas tríplices para a escolha dos administradores regionais, prometida pelo governador eleito Ibaneis Rocha, surgiu um grupo que defende a permanência de Charles Guerreiro na Administração de Vicente Pires, mesmo que reconhecidamente ele tenha sido um fiel defensor do atual governador Rodrigo Rollemberg. Está circulando um abaixo-assinado, divulgado nas redes sociais, com essa sugestão ao novo governo.
“A manutenção do administrador Charles Guerreiro se faz necessária devido ao seu compromisso assumido com a população de entregar a obra concluída. Esse compromisso ele tem honrado diariamente com seu esforço de trabalho e sua presença constante, seja em dias comuns ou sábado, domingos, feriados, ajudando, orientando, colocando a mão na massa, junto de sua equipe, sem se diferenciar dos trabalhadores, nem ostentar o cargo de administrador. Por isso é que, por toda sua abnegação, a população de Vicente Pires só tem uma nota pra esse Guerreiro: nota 10, nota 100, nota 1000. Queremos Charles Guerreiro em Vicente Pires em 2019”, postou numa das rede sociais da cidade a moradora da Rua 10, Conceição Sousa.
Aos críticos do seu perfil, Charles Guerreiro responde que “o discurso da crítica vazia, do quanto pior melhor infelizmente ainda reina na cabeça de alguns poucos. A esses, convido a passarem um dia trabalhando comigo, juntamente com nossa equipe, mas já aviso pra trazer sua marmita, porque não paramos de trabalhar nem durante as refeições, mesmo nos finais de semana e até feriados, até tarde da noite. É assim que estamos dando a nossa contribuição para as melhorias até o último dia da nossa missão. Me parece ainda, que não os avisaram que as eleições já passaram e que continuamos trabalhando mais e mais e ainda ficam batendo nessa tecla atrasada de obra eleitoreira. Com todas essas informações, talvez esses poucos possam fazer algo de útil pela suas vidas ou cuidar de algo que possa ajudar alguém ou a cidade, ao invés de desmerecer o que está sendo feito e o trabalho dos quem têm compromisso com essa comunidade” diz ele.

SHARE